Medo bobo

11:03


Ao longo da vida vamos sempre encontrando e encarando situações nem sempre tão prazerosas. Isso é um fato pertencente a toda e qualquer pessoa. E por algumas repetições e exposições frequentes a essas situações, muitas pessoas escolhem se defender firmemente e não abrirem mais espaço para interferência de outras em suas vidas, sobretudo quando o assunto é paixão, amor, dessas coisas. 
Não estou aqui para dizer se é certo ou errado, até porque também já agi assim e entendi que fazer isso é sofrer tanto quanto. Imagine você encontrando uma pessoa legal, ela dar todos os sinais de que quer continuar com você, e então você simplesmente não consegue se abrir, não consegue curtir o outro da mesma maneira, não consegue se entregar ao sentimento!? Não é legal de forma alguma.
Mas aos poucos fui aprendendo um pouco mais dessas coisas de amar e sofrer, e finalmente equilibrar. Não tem graça nessa vida não amar, não curtir uma pessoa, não viver completamente um sentimento tão bacana. 'Mas eu tenho medo de sofrer', você pode até me dizer, e eu repito: não tem graça não amar; sofrer pode ser uma consequência de um término, por exemplo, mas não se pode esquecer do sentimento bom já vivido. Tem-se a mania de dizer que uma relação não deu certo quando ela termina, mas eu acredito mesmo que se aconteceu por certo tempo, é porque deu certo, de alguma maneira, só não teve continuidade. E isso é a vida, essa roda gigante sem parada prevista.
Aprendi com o tempo que ter medo de sofrer é bobagem demais e isso impede tanta coisa boa. A gente deixa de viver por esse medo tão bobo, tão sem sentido. Amor, paixão e desejo são coisas muito bacanas, tão revigorantes, capazes de despertar sorrisos e sensações tão gostosas, que não importa o depois, o que vale é viver isso que a vida tá oferecendo, tá estampando em outdoors.
Entendo hoje, que medos são precauções, mas que precisam ser enfrentados, para que possamos viver mais plenamente. Acredito que a plenitude está nessa entrega à vida, ao que pode acontecer, entre coisas boas e ruins; sempre são experiências que nutrem a jornada. Então, eu lhe dou um conselho (que não se vende mesmo, a gente dá porque é bom saber de outras experiências para repensar as nossas): não esqueça de viver, não deixe essas reservas impedirem que você vivencie sentimentos tão bonitos. E mais: se tiver com medo, deixa ele de lado, e se jogue... Ame, sofra, chore, se descabele, sorria, sinta o coração palpitar. Não dá pra viver sem nada disso, não dá pra se esconder o tempo inteiro.

Magda Albuquerque

You Might Also Like

6 comentários

  1. Quanta inocência da gente achar que sofrimento se evita.. depois de um tempo percebemos que além de inevitável o sofrimento é necessário..
    O importante é ir, mesmo com medo.. até porque, quando se trata de amor, a gente dificilmente consegue não resistir.. a gente vai e, quando se dá conta, tá envolto e não sabe mais como sair - nem quer!!!

    Ótimo texto, Magda!!!! Beijos, ótima semana.. :*

    ResponderExcluir
  2. Bem verdade, Simone. Tem que ir com medo e tudo!

    Ótima semana para nós! Beijão.

    ResponderExcluir
  3. O medo existe pra tornar as coisas mais intensas e melhores. O medo cria expectativa, sabe?

    Mas tá que tá ahazando com os textos novos. Ai ai

    #muitoamor

    ResponderExcluir
  4. Concordo, Fê. Só não pode deixar que o medo impeça de viver as coisas boas da vida. Esse medo não!

    Obrigada, meu bem. :)

    ResponderExcluir
  5. Querida Magda, vim aqui apenas registrar meu comentário, pois simplesmente não tenho o que dizer! Tu disse tudo no teu texto, assino embaixo de cada linha! Ter esse tipo de visão sempre facilita a vida e a vivência da felicidade.

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por passar por aqui, meu querido. ;)

      Beijo.

      Excluir

Seguidores